BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

Os caminhos da formação da Terra

Dando continuidade a compreensão da construção de nossa casa Terra, observamos em A Caminho da Luz, psicografia de Francisco Candido Xavier, a descrição dos primeiros tempos de nosso planeta:

“Laboratório de matérias ignescentes, o conflito das forças telúricas e das energias físico-químicas opera as grandiosas construções do teatro da vida, no imenso cadinho onde a temperatura se eleva, por vezes, a 2.000 graus de calor, como se a matéria colocada num forno, incandescente, estivesse sendo submetida aos mais diversos ensaios, para examinar-se a sua qualidade e possibilidades na edificação da nova escola dos seres. As descargas elétricas, em proporções jamais vistas da Humanidade, despertam estranhas comoções no grande organismo planetário, cuja formação se processa nas oficinas do Infinito…

Nessa computação de valores cósmicos em que laboram os operários da espiritualidade sob a orientação misericordiosa do Cristo, delibera-se a formação do satélite terrestre. O programa de trabalhos a realizar-se no mundo requeria o concurso da Lua, nos seus mais íntimos detalhes. Ela seria a âncora do equilíbrio terrestre nos movimentos de translação que o globo efetuaria em torno da sede do sistema; o manancial de forças ordenadoras da estabilidade planetária e, sobretudo, o orbe nascente necessitaria da sua luz polarizada, cujo suave magnetismo atuaria decisivamente no drama infinito da criação e da reprodução de todas as espécies, nos variados remos da Natureza.”

Hoje, amigo leitor, olhamos os mares, as nuvens, as florestas, a lua, nos parecendo que tudo esteve sempre lá, para nosso bel prazer. No entanto, observamos que longos e primorosos trabalhos foram realizados, experimentações de acunhada observação, para que o equilíbrio de todas as forças que compõe a Terra e a equilibram dentro da estrutura do universo permitisse a estada do espírito em evolução. E na grande maioria das situações, somos ainda incapazes de compreender, em profundidade, como se processou tudo isto, para que hoje, no ano de 2022 d.C., ocupando o corpo físico humano, estejamos aqui.