BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

Origem divina de todos os seres

Como ainda não temos o sentido necessário para compreender a natureza íntima de Deus, sentido que só obteremos quando estivemos completamente purificados, Kardec nos mostra que, pelo raciocínio lógico, podemos deduzir Seus atributos.
Mais ainda, como todos os atributos são infinitos, não pode haver dualidade. O bem infinito exclui automaticamente o mal, assim como o mal infinito exclui automaticamente o bem. Esse raciocínio aplica-se a todos
os atributos de Deus.
Kardec nos afirma que “sem o conhecimento dos atributos de Deus, seria impossível compreender a obra da criação”. Esse deveria ser o ponto de partida de qualquer religião, mas não foi assim que ocorreu. Por isso, a maioria delas atribui a Deus paixões inferiores que, na realidade, pertencem aos homens.
À medida que a humanidade evolui, o pensamento das diversas religiões também evolui e se aproxima da verdade insondável ainda do perfeito amor, que reflete Deus, nosso Pai. Vamos destacar a seguir
os atributos de Deus:


Deus é suprema e soberana inteligência – por limitação de nossa inteligência não podemos compreender tudo o que existe.
A inteligência de Deus é ilimitada.
Deus é eterno – não teve um começo e não terá um fim.
Deus é imutável – não sofre mudanças, assim como as suas leis.
Deus é imaterial – a natureza divina é diferente de tudo que

conhecemos como matéria.
Deus não tem uma forma que possamos perceber com nossos sentidos.
Deus é onipotente – Deus, todo-poderoso,ser supremo do universo.
Deus é soberanamente justo e bom – em todas as suas leis, a bondade e a justiça reinam soberanas, nas grandes coisas e nas pequenas.
Deus não trata em caráter de exceção nenhum ser de sua criação.
Deus é infinitamente perfeito – a perfeição absoluta é mais

um atributo inegável de Deus.
Deus é único – o Ser que não foi criado por ninguém e que tudo criou, com infinita perfeição, infinita justiça e bondade .

E assim será por toda a eternidade.
Mas, acima de tudo, amigo leitor, Deus é Pai!