BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

O Protoplasma

Caminhando juntos na compreensão da formação do Planeta Terra, temos a alegria de verificar que a Doutrina Espírita nos esclarece as consciências, de forma que possamos criar em nós mesmos a devoção a tudo que existe, porquanto, estamos cercados da Criação Divina.

Em A Caminho da Luz, no item “O Verbo da Criação Divina”, encontramos a presença do Cristo coordenando a escola Terra. Convidamos para a observação intima de cada palavra, junto da prece sincera, a fim de que penetre por todos os nossos sentidos a luz do amor que verte do Mestre. Segue-se o texto:

“… mas o seu amor foi o verbo da criação do princípio, como é e será a coroa gloriosa dos seres terrestres na imortalidade sem fim. E quando serenaram os elementos do mundo nascente, quando a luz do sol beijava, em silencio, a beleza melancólica dos continentes e dos mares primitivos, Jesus reuniu nas Alturas os intérpretes divinos do seu pensamento. Viu-se, então, descer sobre a Terra, das amplidões dos espaços ilimitados, uma nuvem de forças cósmicas, que envolveu o imenso laboratório planetário em repouso.

Daí a algum tempo, na crosta solidificada do planeta, como no fundo dos oceanos, podia-se observar a existência de um elemento viscoso que cobria toda a Terra.

Estavam dados os primeiros passos no caminho da vida organizada. Com esta massa gelatinosa nascia no orbe o protoplasma e, com ele, lançara Jesus `à superfície do mundo o germe sagrado dos primeiros homens.”

Amigo leitor, cada passo, conforme vimos anteriormente, foi minuciosamente planejado. Os continentes, os oceanos, a rotação da Terra, a lua, as altas temperaturas a fim de dar ao planeta a condição de ser moldado, como se esculpido com o amor de Jesus e o trabalho incansável dos engenheiros e arquitetos espirituais, de forma que a Terra alcançasse as condições mínimas para receber os espíritos em evolução.

E assistimos através da descrição do poeta Emmanuel as forças luminosas que desceram do mais alto, irradiadas do amor divino, a formar o protoplasma, o berço sublime das mônadas celestes, espíritos em fase inicial de evolução.