BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

Laços fraternos entre espécies

Na Peepal Farm, um centro de resgate na Índia, recebeu um pedido de ajuda para um bebê macaco ferido que, após sofrer uma eletrocussão, não pode seguir com o grupo familiar pois perdeu a patinha.
No início, ela ficou muito estressada por estar presa. Perceberam então que se sentia mais confortável na presença de Billo, um gatinho que diariamente visitava sua gaiola e deixava ela se aconchegar para dormir. Assim, Avni, nome dado à macaquinha, ficava muito mais calma – o que auxiliava sua recuperação.
Avni foi tratada. Após um mês, já estava recuperada e interagindo cada vez mais com os outros animais do abrigo e brincando com os filhotes de cães principalmente. Permaneceu assim até o dia em que encontrou uma cadela, a Munnu, tão gentil e paciente que deixou ela se agarrar às suas costas, como se estivesse sobre sua mamãe macaca. Recebia assim o conforto necessário para seu crescimento.
Todos somos irmãos, em diferentes fases evolutivas, com oportunidade de nos auxiliarmos mutuamente para a nossa evolução e para a evolução do planeta. Aproveitemos essa instrução dos espíritos em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, A lei de amor, capítulo XI:

“O amor resume toda doutrina de Jesus,
visto que esse é o sentimento por excelência,
e os sentimentos são os instintos elevados
à altura do progresso realizado.
No seu ponto de partida, o homem
só tem instintos, quanto mais avançado
e corrompido, só tem sensações,
mais instruído e purificado, tem sentimentos e o amor

é o requinte do sentimento.
Não o amor no sentido vulgar do termo,
mas esse sol interior, que reúne e condensa
em seu ardente foco todas as aspirações
e todas as revelações sobre-humanas.
A lei de amor substitui a personalidade
pela fusão dos seres, extingue as misérias sociais.

Ditoso aquele que, ultrapassando
a sua humanidade, ama com amplo amor
os seus irmãos em sofrimento.
O amor é a essência divina.
Desde o mais elevado até o mais
humilde, todos vós possuis,
no fundo do coração,
a centelha desse fogo sagrado.”