BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

Bartolomeu, um dos onze

Bartolomeu também chamado de Natanael conheceu Jesus através de Filipe seu amigo, e que também se tornaria um apóstolo do Mestre. Filipe vai ao encontro de Bartolomeu e lhe diz: Aquele a quem nós estamos aguardando desde há muito já se encontra entre nós! É Jesus de Nazaré, o filho de José carpinteiro. Bartolomeu em tom de zombaria pergunta ao amigo se de Nazaré poderia vir alguém bom. 

O povo judeu aguardava a vinda do Messias, eles não sabiam de onde viria, mas recebiam com certo descontentamento que o enviado de Deus viria pelas terras de Nazaré. 

Os dois amigos partiram ao encontro de Jesus, para verem de perto Aquele que expulsava demônios, curava leprosos, trazia a visão aos cegos. Andavam por uma estrada de terra quando avistaram Jesus ao longe, sentado sobre uma rocha debaixo de uma arvore e, quando Bartolomeu se aproximou Dele, antes que dissesse alguma coisa, Jesus lhe disse:

“Há aqui um verdadeiro israelita, em quem não há nenhum fingimento.”

Diante dessas palavras Bartolomeu indaga ao Cristo de onde o conhecia, e Jesus lhe respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, te vi, estando tu debaixo da figueira. Eu sou um bom pastor, e conheço todas as minhas ovelhas.”

Bastou ouvir isto e o velho israelita despojou-se de toda a sua incredulidade, inclusive compreendendo que Nazaré podia produzir coisas boas. 

Como acontecera com Paulo de Tarso, mas na presença física e não com o Cristo em espírito, Bartolomeu adere a nova doutrina assim que o amor do Mestre inunda seu espírito.

Ele divulgou a doutrina Cristã por toda a região da Índia.

O pensamento de Bartolomeu com relação as pessoas vindas de Nazaré nos aponta nossos próprios pré-julgamentos e preconceitos cotidianos, mas também nos revela o amor sublime do Cristo por todos nós, e como Bartolomeu se despiu de seus preconceitos e passou a servir ao Cristo em suas ações diárias, nos dispamos também de preconceitos e enxerguemos em todas as criaturas a figura do Cristo, preguemos Seus ensinamentos através de nossas palavras e atitudes durante toda a nossa existência para que possamos ser reconhecidos pelo Pastor de almas, como uma boa ovelha.