BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

As questões de ortografia

Os erros ortográficos de algumas mensagens psicografadas também foram objetos de consideração por parte do codificador.  Antes de mais nada, é importante relembrarmos que há grande heterogeneidade na população do mundo espiritual, que se reflete em diversidade de sabedoria e moralidade, e em conhecimentos linguísticos e ortográficos que transparece nas mensagens. Mas, quando avaliamos os erros ortográficos ou gramaticais, além do autor espiritual, temos que considerar o componente mediúnico como origem das imperfeições das mensagens.

De qualquer forma, a questão ortográfica tem importância secundária na avaliação da relevância das mensagens, frente ao conteúdo, à elevação moral dos ensinamentos e à linguagem utilizada. Os Espíritos superiores se comunicam pelo pensamento, livre de qualquer intermediação, considerando a nossa forma de linguagem insuficiente, imperfeita e demasiada lenta para transmitir-lhes as ideias em plenitude. Mesmo assim, quando necessário eles são capazes de utilizar corretamente a convencionalidade das regras gramaticais em qualquer idioma.

Na compilação dos ensinos dos Espíritos para a codificação da Doutrina Espírita, Kardec utilizou-se, além do bom-senso e da razão, a compreensão de que mensagens importantes são trazidas por vários mensageiros, e a universalidade das informações se tornou essencial nesse processo.