BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

Aos que choram

Bem-aventurados os que choram porque eles serão consolados1. Esta é mais uma das promessas de Jesus inscritas no Sermão da Montanha. Examinando a humanidade, quem são aqueles que choram? E como eles serão consolados?

Se olharmos mais profundamente, afastando nossas vistas das aparências, podemos dizer sinceramente que nesta Terra não existem delícias e todos, sem exceção, choramos, com essas aflições que nos alvejam os corações, causando-nos profundo pesar e dor, sofrimentos e angústias. 

Considerando que Deus é Pai de bondade, justiça e misericórdia, e todo efeito tem uma causa, estabelecemos o raciocínio que se sofremos não é gratuito e por vingança, mas é o resultado de uma ação, presente ou passada, cujo efeito é proporcional e adequado2

No presente estágio evolutivo somos capazes de reconhecer duas variáveis relevantes que estão diretamente envolvidas na causa das aflições: o livre arbítrio e a responsabilidade. A partir disso, podemos estar certos de que o sofrimento é o efeito de uma ação escolhida por nós, mesmo que o resultado não o seja, e não pode ser atribuído o encargo a qualquer outro. 

Mas Jesus promete consolo aos que choram. Como? Em primeiro lugar através da prece que, se dita por um coração arrependido, confiante e submetido à vontade de Deus, encontrará Espíritos amigos que socorrem aliviando, reerguem a coragem inspirando pensamentos e ações voltadas à remissão das faltas e ofensas, assim como intuindo a correção do proceder do Espírito, prevenindo dores futuras3.

Ilustrando esse pensamento, existiriam o Livro da Vida e a balança da Justiça Divina. No primeiro, tudo vivenciado seria inscrito com incrível fidelidade; na segunda, essas inscrições representariam, de certo modo, o peso que se carrega n’alma, impedindo-a de se elevar, ou ainda, o equilíbrio entre o bem e o mal4.

No entanto, o consolo somente alcançará aqueles que choram resignados e não aqueles que choram sua revolta, pois os primeiros estão no caminho na cura profunda, enquanto os outros, ainda teimosos e egoístas, esperam o alívio momentâneo dos sintomas.

1 Mateus 5:4
2 RE, jan/1865.
3 RE, mai/1866
4 RE, mai/1866