BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

Antigos e modernos sistemas do mundo – parte I

Kardec inicia colocando como os homens formaram as primeiras noções da terra, dos movimentos dos astros e da formação do universo, baseado no único instrumento que eles tinham, o testemunho dos sentidos. Sem nenhum conhecimento das leis da física e da natureza julgavam pela aparência, como por exemplo a conclusão do movimento do sol, que nascia de um lado e se punha de outro, portanto o sol se movimentava em torno da terra, uma vez que eles não percebiam nenhum movimento da terra.

Como a céu tinha uma aparência côncava supunham que ele era uma abóboda, cheia de ar, cujas bordas repousavam na terra, que era circular e plana, delimitando o seu limite. As estrelas eram consideradas como pontos de luz presas na abóboda. Como desconheciam o processo de evaporação que formam as nuvens tinham o conceito de águas inferiores e águas superiores, que caiam na terra através de frestas maiores ou menores da abóboda celeste, que “regulavam” a intensidade das chuvas. Consideravam os astros como simples ornamentos, que serviam de deleite aos olhos dos habitantes da Terra.

Mais tarde o homem passou a perceber o movimento aparente das estrelas e compreendeu que, pela direção do movimento e retorno periódico ao mesmo ponto e na mesma ordem, a abóbada celeste não podia ser um semicírculo apoiado na terra, mas um círculo inteiro, habitado apenas na parte superior da terra, uma vez que o conceito da terra plana ainda não havia mudado.

Mas se a terra era plana, onde ela estava apoiada? Os indianos diziam que eram sustentadas por quatro elefantes brancos apoiados sobre as asas de um abutre gigante, os povos pagãos tinham o conceito que os “lugares baixos”, sem saber ao certo onde ficavam e eram habitados pelos condenados, o conceito do inferno, e os “lugares altos”, além das estrelas, que eram a morada dos seres bem-aventurados.

Estes eram os conceitos iniciais, básicos e desprovidos de qualquer fundamento, mas que perduraram por muito tempo.

No próximo número da matéria vamos expor o desdobramento destes conceitos, como eles evoluíram, conforme colocações de Kardec a respeito deste assunto.