BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

A loucura e suas causas

Para alguns, a desconfiança em relação ao Espiritismo tem origem no medo do desconhecido, levando a incorreta conjectura de que seu estudo levaria a perturbações das faculdades mentais e, portanto, não deveria ser divulgado.

Entretanto, a loucura, enquanto doença psiquiátrica, pode ter várias causas, inclusive condições genéticas, utilização de substâncias ilícitas, efeitos adversos de medicamentos, lesões cerebrais, doenças sistêmicas, desequilíbrios hormonais, privação de sono, além de experiências traumáticas como decepções, desastres, afeições contrariadas, perdas, inseguranças, medos e fobias. O cérebro é o órgão de ação do pensamento do Espírito, assim alterações da química cerebral podem predispor a um estado mais impressionável, e um pensamento dominante, derivado dos Espíritos ou de situações do mundo físico, pode se tornar uma ideia fixa. 

Apesar de algumas perturbações mentais ocorrerem por alterações orgânicas cerebrais, a origem das doenças mentais é, na maioria das vezes, o ativo para a mudança moral do Espírito, um caminho para a evolução do  mediante a busca da cura de si mesmo. 

O estudo da Doutrina Espírita nos auxilia a compreender as condições predisponentes dos desequilíbrios cerebrais como processos expiatórios ou provas para o Espírito, e as tribulações da vida pelo ponto de vista do Espírito imortal. Também possibilita reconhecer os processos obsessivos que podem levar a desequilíbrios mentais, além de auxiliar no tratamento ao demonstrar a necessidade e auxiliar na transformação moral do obsidiado e do obsessor. 

A Doutrina Espírita é a Terceira Revelação da Lei de Deus, que nos traz a Verdade e esclarece a fé pela razão, todo aquele que se esforçar no seu estudo sincero perceberá a profundidade dos seus ensinamentos, afastando-se de quaisquer mistificações ou temores infundados.