BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

A comunicação mediúnica

Reconhecida a possibilidade de comuni-cação com o plano espiritual, o próximo passo foi o aprimoramento da metodologia. Percebeu-se, com o tempo, que a cesta era apenas um apêndice da mão. Logo, o médium segurando o lápis diretamente passou a escrever por um impulso involuntário e quase febril. Dessa forma, simplificou-se o processo de comunicação, possibilitando mais rapidez e complexidade nas mensagens. 

Assim, transformou-se na forma mais comum, seja pela facilidade, seja pelo crescente número de pessoas dotadas dessa faculdade mediúnica. Diversas outras formas conhecidas, por meio da audição, visão e tato, além da escrita direta sem o concurso do médium aconteceram. Na avaliação da veracidade do processo de comunicação, o papel mecânico do médium foi analisado. Assim, o exame do processo mediúnico constatou a impossibilidade de o médium, com os dedos na borda da cesta, direcionar seu movimento numa escrita organizada, o que era ainda mais óbvio quando duas ou mais pessoas estavam, concomitantemente, com as mãos sobre a cesta. 

Outro fato singular observado foi a radical mudança da caligrafia de acordo com o espírito comunicante. Restava, então, a avaliação do papel do médium no conteúdo das mensagens: muitas vezes as respostas fugiam completamente à sua compreensão, fora do escopo de seu conhecimento e alcance intelectual, sendo, inclusive, em alguns casos, em idioma que ele desconhecia. Comprovava-se, assim, que as comunicações não tinham como origem o próprio médium, mas sim, outras inteligências.

A diversidade de linguagem, além da imensa variedade de assuntos, inclusive por meio do mesmo médium, apenas podia ser explicada pela variedade de inteligências por trás das comunicações. 

Algumas mensagens exprimiam pensamentos tão elevados e de tão pro-funda sabedoria e sublimidade, reflexo do pensamento de uma inteligência superior dotada da mais pura moralidade, enquanto outras eram frívolas, levianas e triviais, refletindo a baixa evolução moral do ser comunicante.

Foi possível comprovar a veracidade
do fenômeno iniciado com as mesas gi-rantes, já que seus efeitos patentes podiam ser observados por todos, com o processo da psicografia repetido por milhares de pessoas todos os dias.

Iniciava-se, a partir desse fenômeno, um novo movimento na Terra, o da Terceira Revelação, a combinar filosofia, ciência e religião, e no alvorecer de um novo mundo, a luz da Verdade vertia dos Céus. Na próxima edição, vamos conhecer o que os espíritos vieram nos ensinar.