BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

A verdade de cada um de nós

O que é a verdade? Muitos já fizeram essa pergunta. Mas qual é a resposta?  Há um pro- vérbio chinês que diz existirem três verdades: a minha, a sua e a verdadeira. 

Aí, surge a dúvida: então, a verdade não é única? Jesus disse: “…Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” e “Eu não nasci nem vim a este mundo senão para dar testemunho da verdade; todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.”

Para entendermos o conteúdo da mensagem de Jesus, precisamos de uma ferramenta, uma espécie de pedra de roseta (pedaço de granito encontrado no século XVIII, no Egito, na cidade de Roseta, que foi a chave para entender os hieróglifos, o tipo de escrita do Egito Antigo). 

Tomemos como referência os ensinamentos de Sócrates, pelos quais as verdades são universais e, para reconhecê-las, é necessária uma autoanálise — na qual se admite a ignorância e se esbarra em ideias falaciosas e preconceituosas.

Separados por 2000 anos, mas unidos pelo sentido, a Revista Espírita de 1863 transmite na mensagem que o estudo da verdade parte de nós e volta para nós, devendo servir de guia ao amante da verdade. No caminho, quanto mais possuir o homem, mais calmo e nobre será e saberá discernir as veredas que o conduzirão à verdade. Se for leviano, presunçoso e apaixonado, corromperá com essas ações os frutos que colhe na busca.

Kardec escreve que a verdade eterna não espera pela aceitação dos homens para existir. Ela governa o Universo a despeito daqueles que fecham os olhos para não vê-la. É eterna porque emana de Deus e o erro só é perecível porque tem origem nos homens.

O progresso é a lei da humanidade, que não pode atingi-lo senão ao descobrir a verdade. Pascal arremata ensinando que há duas verdades: uma relativa, o que é, e uma absoluta, o que deveria ser. Ora, como o que deveria ser sobe por graus até a perfeição absoluta, que é Deus, segue-se que, para os seres criados e seguindo a rota ascensional do progresso, só há verdades relativas. 

Então, podemos concluir que a chave para desvendar “O que é a verdade” está na evolução espiritual que, permitirá, a cada novo degrau, seu conhecimento completo.