BEM-VINDO À REVISTA ESPÍRITA ASSEAMA

E se Ele falasse com você hoje?

Recordaremos hoje uma passagem de Emmanuel no livro “Há 2000 mil anos” (autoria de Chico Xavier, pelo espírito de Emmanuel), no qual Públio Lentulus, então, um senador romano, fica frente a frente com Jesus e, por ser dominado pelo orgulho da posição social e política que ocupa, perde a oportunidade mais importante de sua trajetória evolutiva. 

Deixa que as ilusões da vida material o ceguem frente àquela luz e ignora a grandiosidade e o amor que a figura do Cristo irradiava, como ele mesmo descreve em poucas e profundas palavras. 

“Tratava-se de um homem ainda moço, que deixava transparecer nos olhos, profundamente misericordiosos, uma beleza suave e indefinível. Longos e sedosos cabelos emolduravam-lhe o semblante compassivo, como se fossem fios castanhos, levemente dourados por luz desconhecida. Sorriso divino, revelando ao mesmo tempo bondade imensa e singular energia. Irradiava da sua melancólica e majestosa figura uma fascinação irresistível.”

Movido por forte emoção, que tomava todo seu ser, ajoelha-se. Jesus caminha para ele e pergunta: “Senador, por que me procuras? Fora melhor que me procurasses publicamente e na hora mais clara do dia, para que pudesses adquirir, de uma só vez e para toda a vida, a lição sublime da fé e da humildade”. 

E continua: “…não venho buscar o homem de Estado, superficial e orgulhoso, que só os séculos de sofrimento podem encaminhar ao regaço de meu Pai; venho atender às súplicas de um coração desditoso e oprimido… Soa para teu espírito, neste momento, um minuto glorioso, se conseguires utilizar tua liberdade para que seja ele, em teu coração, doravante, um cântico de amor, de humildade e de fé, na hora indeterminável da redenção, dentro da eternidade.”  

Nesta noite, Públio Lentulus esteve entre dois caminhos: o do servo de Jesus e o do servo do mundo e, pelo orgulho que acorrentava o espírito, o senador romano continuou servindo ao mundo. 

E nós? A quem servimos? Estamos deixando nosso orgulho falar mais alto e, como ele, perdendo muitas vezes a chance para a regeneração de toda uma vida? Lembremo-nos desse grandioso exemplo e fiquemos atentos à lição sublime de fé e de humildade que o Cristo nos ensinou.

Ouçamos o Mestre, em Mateus, capítulo XI, v, 29-30: “ … aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.”